Saturday 31 December 2011

2012

Olá 2012! o/
Adeus 2011!


Prestes a entrar em 2012, olho para o ano 2011 em retrospectiva...
Todos os anos por esta altura, dou um nome ao ano que deixo para trás e 2011 será conhecido pelo "Ano do Twitgang". \o/

Apesar de ter sido um dos anos mais complicados da minha já turbulenta vida, o facto de ter podido conhecer, falar e gargalhar com este grupo de pessoas que conheci através da rede social Twitter ajudou-me a ter uns momentos de evasão que me permitiram respirar fundo e recarregar baterias.

Tive a oportunidade mágica de conhecer pessoalmente uma das minhas autoras favoritas: Juliet Marillier em Julho e conto em Abril poder conhecer o grande George R.R. Martin!

Oh pra mim a falar com a Juliet sobre a cidade do Porto ;)

Ainda tive a oportunidade de conhecer pessoalmente uma das bandas da minha adolescência e que ainda hoje me inspira: Lamb.

*squeeeee*

Agora me pergunto, o que 2012 me reserva?!

Balanço 2011 - Cantos Dourados

E chega aquela altura do ano em que se fazem contas às leituras, balanços de apostas neste ou naquele autor, nesta ou naquela série...
Não querendo ficar para trás aqui deixo os eleitos nas várias categorias, quem leva o prémio nesta primeira edição do canto dourado?!

O livro do ano... 


Este livro não é um lançamento deste ano, mas foi este o ano em que tive a oportunidade de o ler! E digo desde já que é daqueles livros que todos devemos ter nas nossas bibliotecas... É um dos livros mais caricatos que tive a oportunidade de ter nas mãos nos últimos tempos e que apesar de ter pouco texto escrito, foi certamente, dos livros que ainda hoje me dá imenso prazer folhear...

Uma confissão: este livrito está sempre à mão de semear pois adoro mostrá-lo a quem como eu adora livros!

A série do ano... "Immortals After Dark" da Kresley Cole e "Parasol Protectorate" da Gail Carriger

                     (Goodreads)                                         (Goodreads)

Fui incapaz de escolher entre as duas séries, pois adorei lê-las e mergulhar nos seus mundos. 

Com a Kresley Cole fiquei a conhecer um género que não me havia "puxado" muito, devido às capas de moços com peças de roupa a menos e agora não dispenso este "guilty pleasure". Gail Carriger ajudou-me a mergulhar ainda mais no fascinante mundo do romance paranormal, desta feita com um twist steampunk que só ajudou à desgraça e a aumentar o bichinho pela estética.

O autor descoberta... Meljean Brook, Gail Carriger

                            (Página Oficial)                           (Página Oficial)

Mais uma categoria com dois - neste caso duas - vencedoras! :)
Fiquei a conhecer os livros das duas autoras mais ao menos na mesma altura, o trabalho das séries que li delas estão inseridos na mesma estética, steampunk, e tornaram-se indispensáveis para esta bibliófila! Claro que conheci mais autores, pois este ano de 2011 foi ano de experiências literárias e um salto para fora da minha confort zone (fantasia épica). Mas de todos os livros, séries e autores, Gail e Meljean destacaram-se e ganharam mais uma ávida fã!

O autor do ano... Meljean Brook

Como seria de esperar para quem me conhece e atura! Dispensa qualquer comentário certo?! :P

Aqui deixo um obrigada bem grande a quem me desencaminhou e deu a conhecer esta autora: Tchetcha do blog, Ler e Reflectir.
 
O personagem do ano... Yasmeen de "Heart of Steel" da Meljean Brook

Desde a leitura do "The Iron Duke" que andava de olho na Yasmeen e no Archimedes. Eles são daqueles personagens que ficam com o leitor mesmo depois de terminar o livro e depois de ler "Heart of Steel" só confirmei mesmo a mestria de Meljean a criar personagens credíveis e consistentes! Empatizei completamente com a Yasmeen ou Lady Corsair e adorava ver mais das aventuras dela.

A releitura... Harry Potter da J. K. Rowling


No ano em que o ciclo Potter se fechou com a estreia do último filme da série de adaptações dos livros de J.K. Rowling, decidi reler os sete livros e em conjunto com um grupo de Potterheads e estreantes refizemos a viagem mais fantástica das nossas infâncias. Obrigada J.K. pela tua obra mágica...

Thursday 29 December 2011

Diário de um Kindle (5)

Depois de quase um mês volvido desde a chegada do kindle, aqui deixo as minhas impressões e um balanço mais que positivo da experiência enquanto utilizadora de um dos ereaders mais vendidos no Mundo.

 (Gatinha não incluída aquando aquisição do equipamento)

A minha reflexão inicial quanto à escolha do modelo, foi tão certeira, mas tão certeira que até fico surpreendida comigo mesma... :)

Relembro que o modelo que adquiri foi o kindle (o mais básico de todos) e devo dizer que 2 Gb de memória, mais os livros que adquiri na Amazon.com (uma vez mais não podemos adquirir ebooks noutra loja da Amazon, mas não existem problemas com taxas nem nada por isso estamos à vontade na hora da desgraceira económica) que são arquivados na Cloud Drive (logo não ocupam espaço no kindle), chega e sobra para escolher um livro novo para ler... Neste momento tenho 550 livros no kindle e já nem sei para onde me virar! :D

Tenho um ereader, agora não compro mais livros em papel. FALSO

Com um ereader como o kindle, agora aposto em edições melhores de livros/séries que sei que valem mesmo a pena, pois já comecei a ler em formato ebook e gostaria de possuir os livros em papel.
Uso e abuso do conteúdo livre disponível na Amazon e dos "samples" gratuitos que podemos fazer download directamente para o kindle, isso permite um flexibilidade incrível para os leitores que pretendem experimentar novos autores.

Quem ama livros, um ereader nunca será desculpa para deixar de comprar livros em papel!

Vale a pena o investimento num equipamento destes?
Então não vale?! (Não vou falar dos livros que arranjamos entre amigos e caídos de camiões por isso...)
Dantes andava com carteiras modelo gigante para poder acomodar um ou dois livros, para nunca ser apanhada desprevenida, agora imaginem o tamanho da minha mala (mínimo, modelo pochette :P). Deixei de carregar 20Kg atrás de mim só porque queria ter hipótese de escolha quando passava 2/3 dias fora de casa, só de pensar no dinheiro que poupo no quiroprata...

E o modelo kindle chega ou valerá a pena esperar pelo touch?

Eu não sou muito dada a audiobooks, por isso o facto de não ter essa funcionalidade neste modelo não me incomoda muito. 
Desde que chegou a minha casa só o carreguei 3 vezes (isto porque utilizo muitas vezes o wifi e isso diminui a duração da bateria), uma carga dura facilmente cerca de 2 semanas! 

A habituação ao teclado virtual leva uns dias, mas mal lhe apanhemos o jeito não provoca muito incómodo (claro que para tomar notas longas torna-se cansativo). Eu utilizo muito a internet, twitter e email e nunca me causou muita confusão. Se quizesse utilizar o kindle como tablet, comprava um tablet!

Ahhh amigos esquerdinos! A Amazon não se esqueceu de nós *limpa lágrimas de alegria*
Sim temos botões para virar as páginas do lado esquerdo do aparelho também!! (*.*) Claro que em modelos touch não temos a mesma facilidade de manuseamento (lado esquerdo - página anterior, lado direito - página seguinte).

A leitura é super cómoda e a semelhança do ecrã com papel é incrível! Claro que pouca luz ambiente dificulta a leitura, mas isso também acontece com papel :P
O cansaço provocado pela utilização intensiva do kindle, resume-se ao cansaço provocado pelas leituras noite dentro: ficar rabugenta na manhã seguinte e claro cheia de sono :)

Só tenho a aconselhar aos bibliófilos a aquisição de um ereader... e o kindle, é sem dúvida um dos melhores investimentos, a seguir aos nossos muito amados livros, claro! ;)

Sunday 25 December 2011

Saturday 24 December 2011

Merry Christmas


Um Feliz Natal a todos, recheado de coisas boas... com muitos livrinhos, filmes, e séries, junto de quem mais gosta de nós!

In My Mailbox (6)


E aqui está a última In My Mailbox do ano, desde já dou um abracinho bem apertado à White_lady por me ter enviado o Steamed da Katie MacAlister.

Uma vez mais, aposto em duas séries novas, uma é da Meljean Brook (que já conheço bem da séria The IRon Seas") e um autora nova Julie Kagawa. Fingers crossed para ver no que isto vai dar...

E vocês que coisas boas tiveram nas vossas caixas de correio?!

The Hobbit

 (IMDB)

Que mais posso dizer sobre o The Hobbit que não tenha sido já dito?! Que é o filme mais esperado de 2012? Que reúne um elenco de estrelas que mal conseguimos imaginar que caibam todas na mesma película?!

Dia 21 de Dezembro foi divulgado o primeiro trailer oficial da nova produção de Peter Jackson e sem mais demoras e sem mais palavras ... le trailer! *.* Eu estou aqui que nem me seguro de tanto entusiasmo. *squeee*


Thursday 22 December 2011

Booking Through Thursday - Gifts

Any books you’re hoping to get for the holidays this year?
How about giving? Are you giving any good ones?

 

Este ano em termos de prendinhas acho que foi o que melhor me correu nos últimos anos: comprei o meu kindle, a capinha com luz chega para a semana! *.* e ainda comprei a caixita com a trilogia de Suzanne Collins "Hunger Games" (basta verem o último post do meme "In My Mailbox"). Sei que ninguém arrisca dar-me livros, pois correm o sério risco de ter de trocar a prendita antes do Ano Novo ;)


Quanto a dar, vou dar alguns clássicos da literatura mundial que encontrei a preços convidativos (será certamente Jane Austen... ^-^).

Tuesday 20 December 2011

O que te faz comprar o livro?

O povo do Paranormal Romantics lançou a questão e eu como leitora ávida e sempre pronta a experimentar novos "sabores" literários aqui estou a responder à questão.

Is it the book cover? (Será a capa?)

Sim! Eu quando quero experimentar algo novo é algo que me pode ajudar a decidir por um livro em detrimento de outro. Lembro-me de um dia de compras numa FNAC perto de mim quando comprei dois livros apenas por causa das capas e dos títulos. Um correu-me bem e apaixonei-me por ele, "A Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata" conseguiu captivar-me pelo título no mínimo caricato, o outro livro foi a capa minimalista que me fez investir nele, mas dessa não me correu tão bem, pois o livro que comprei foi o "Eclipse" de Stephanie Meyer.


E até há relativamente pouco tempo, capas com moças de cabelo ao vento e moçoilos com peças de roupa a menos eram o suficiente para me fazer desistir de um livro. Pois essas capas dão uma ideia um tanto redutora do conteúdo dos livros em questão, e enquanto "chamam" um tipo de leitor afastam outro que até seria capaz de apreciar os livros.

Is it a book video? (Será o book trailer?)

Ora bem, aqui está uma questão interessante...
Aqui em Portugal ainda não temos muita tradição dos book trailers, a não ser em alguns casos muito muito especiais (pensa em João Zuzarte e morde o lábio). Enquanto nos países de expressão inglesa, pelo que tenho visto é quase uma necessidade acompanhar o lançamento de um livro com a divulgação prévia de um ou vários book trailers (dependendo do público e volume de vendas do autor/série em questão).

(Book Trailer de Clockwork Prince - Goodreads)

Mas respondendo à questão colocada: no meu caso o book trailer não me influencia muito na hora da compra e não me recordo de um único livro que tenha sido comprado devido a ter visto o respectivo vídeo...

How about contests? Free reading excerpts? (E os passatempos? E os excertos gratuitos disponibilizados?)

Quanto a passatempos a minha sorte não abunda muito e como tal não tenho muitos livros ganhos através deste ou daquele passatempo. Os excertos que por vezes são disponibilizados pelos autores, editoras ou lojas online são por vezes uma ajuda à desgraça económica.
Não é por ser muito azarada nisto dos passatempos mas na minha opinião, os passatempos são uma perda de tempo tendo em conta os efeitos na população bibliófila: primeiro quantas e quantas vezes não se ganha livros que não queríamos necessariamente ler e que acabam por ficar na prateleira tempos e tempos sem fim?!; segundo, das pessoas que ganham quantas é que efectivamente pularam na cadeira quando viram que ganharam o livro tão desejado?! Mas lá está está é a minha opinião. Acho que os excertos gratuitos são bem mais eficazes na disseminação deste ou daquele livro.

Friday 16 December 2011

Booking Through Thursday - Character or Plot?

What’s more important to you? Real, three-dimensional, fleshed-out fascinating characters? Or an amazing, page-turning plot?

Bem que esta semana o Booking Through Thursday vem mesmo mesmo tarde, mas sinceramente foi um fim de semana complicado para estes lados! ;) Por isso aqui está ele, mas a uma Segunda-Feira...

Esta é daquelas difíceis (mas que depois de uns minutinhos a pensar, desfiz as indecisões), já por diversas vezes referi a importância que dou a personagens credíveis, tri-dimensionais e bem construídos. Claro que uma história bem tecida e bem escrita é também importante, mas para esta leitora os personagens são mesmo o mais importante. Posso ter um mundo bem construído, com imensos detalhes mas se não existir um personagem que me fascine ou me prenda... BAM! Vai para a pilha. 

Para mim é mais fácil ignorar um mundo com falhas, mas com personagens fascinantes, do que o contrário.

Tuesday 13 December 2011

Nós e os Livros

Depois da minha pequena reflexão sobre a minha relação com os livros, na rúbrica da White Lady do Blog Este Meu Cantinho e depois de adquirir um ereader comecei a reflectir um bocadinho sobre o futuro dos livros...


Antes dos livros tal como os conhecemos (com capa, contracapa e folhas no interior) os livros e a palavra escrita passou por muitas transformações e formas, mas como eu amo livros e não papiros e estelas de cera não irei abordar isso neste post. E como não pretendo fazer um estudo extensivo da evolução dos livros salto uns quantos milhares de anos directamente para o ocaso do império romano...


Os livros tal como os conhecemos apareceram algures no distante século V criados com todo o cuidado e minúcia pelos monges copistas, durante muitos e muitos séculos o livro era algo apenas reservado às elites monásticas (nem mesmo os reis tinham acesso livre à informação das vastas bibliotecas dos mosteiros e abadias) e quase todos escritos em Latim. Uma colecção considerada extensiva consistia de apenas 500 volumes (mais ou menos o número de livros que tenho dentro de minha casa O.O)



Com a invenção da prensa de caracteres móveis por Gutenberg (1440, Estrarsburgo) os livros começaram a sua grande viajem... começaram a ser mais fáceis de produzir e apesar do custo elevado de cada cópia, eram já mais acessíveis e começaram a ser comprados pelos mais abastados (e assistiu-se à impressão da palavra escrita noutra língua que não o tradicional Latim). Assistiu-se à liberalização dos conteúdos e na altura a Igreja não achou grande piada, chegando inclusive a perseguir Gutenberg e a sua invenção demoníaca.

Após a invenção da palavra escrita, acompanhada de índices cada vez maiores de alfabetização da população, os livros sofreram uma lenta evolução de artigos de luxo e de textos sagrados a textos mais mundanos (os poetas e escritores podem agora com muito mais liberdade e facilidade publicar os seus trabalhos e distribui-los por públicos mais vastos).

Quando em inícios do século XIX apareceu a prensa a vapor, a massificação da produção de livros provocou um boom na publicação de obras literárias (podiam imprimir 1100 páginas por hora, apesar dos trabalhadores poderem apenas colocar cerca de 2000 letras por hora), começamos a assistir uma diminuição nos pormenores das encadernações e nas impressões austeras.

Durante muitos séculos a produção de livros poucas alterações sofreu. Mantendo-se basicamente a prensa de caracteres móveis de Gutenberg.


Nos últimos cinquenta anos, os livros tornaram-se num bem de consumo massificado (com a produção de edições mais baratas, com menos qualidade conhecidas por mass market paperback - livros impressos em papel de menor qualidade, com capas moles de manteriais baratos (hoje em dia algumas edições mass market paperback que me chegam às mãos têm capas de um material sintético que ainda não consegui identificar mas que não é papel vulgar).


Em 2010 a Google calculou que desde o momento que se inventou a prensa, se imprimiram cerca de 130,000,000 de livros.



Com a liberalização do mercado de ebooks e a produção de ereaders mais baratos e acessíveis, o livro enfrenta uma nova metamorfose e vira a página para o próximo capítulo da sua longa história. E aqui eu como bibliófila e consumidora compulsiva de livros penso que já vislumbrei o futuro do nosso bem amado livro: de produto de luxo e ostentação nos seus primórdios ao humilde mass market paperback, assiste-se um pouco ao retorno às origens. Com uma maior difusão e facilidade de acesso à tecnologia ebooks (apesar de ainda faltar muito em termos de unificação do mercado, pois ainda temos muitos tipos de ficheiros que são exclusivos para este ou aquele equipamento e que são dificilmente convertidos), quem compra edições mais baratas irá optar por ebooks cada vez mais enquanto o livro enquanto objecto físico será cada vez mais um objecto de luxo como antigamente.


Cada vez mais vemos que livros com vendas muito altas e populares (como a trilogias "The Hunger Games", a saga "Harry Potter", o "The Hobbit", só para citar alguns dos mais recentes), têm um tratamento mais cuidado e têm direito a edições mais luxuosas para poderem ser algo mais que um veículo da palavra escrita, voltando a ter corpo, personalidade e alma...

Mas uma coisa é certa, apesar do que o futuro guarda para o nosso "amigo e companheiro" livro... apesar da crescente popularidade dos ebooks e ereaders, a palavra impressa nunca deixará de existir. Apenas se transformará em algo mais precioso e especial que os verdadeiros bibliófilos poderão continuar a apreciar...


Atenção: Não sou historiadora, longe disso (a minha formação académica é muito mias virada para a bicheza). Este texto é apenas uma reflexão pessoal sobre a evolução e o lugar dos livros na nossa vida ao longo dos tempos (a história da palavra escrita é muito mas muito mais complexa do que abordei acima, mas a simplificação e estilização dos primórdios dos livros, serve apenas como uma introdução à maravilhosa história do livro, mesmo antes das histórias serem escritas por entre as suas capas).

Monday 12 December 2011

Men in Black 3

 
 Mais um dos meus Guilty Pleasures, mas como este novo trailer foi divulgado hoje, não podia esperar quase um mês (pois é a data do próximos post da rúbrica) para partilhar as últimas notícias desta, agora trilogia que apesar de uma segunda parte menos bem conseguida, me continua a fascinar.

Apesar de não haver uma sinopse oficial, podemos ver pelos trailers que o Agente J irá ter a possibilidade de conhecer e trabalhar com um Agente K bem mais novo! E juntos descobrir alguns dos segredos mais bem guardados dos MIB... Já me esquecia, é em 3D -.-" (Será que valerá a pena? Será que teremos disponível em Portugal a versão 2D? Espero bem que sim.)
 
Men in Black 3 já tem data de estreia nas salas de cinema portuguesas: 24 de Maio de 2012.

Sem mais delongas aqui está o novo trailer:


Sunday 11 December 2011

Eduardo Mãos de Tesoura

 (IMDB)

Título Original: Edward Scissorhands
Ano de Estreia: 1990
País: USA
Realizador: Tim Burton

Sinopse:
Era uma vez um castelo no topo de uma colina, onde vivia um inventor cuja maior criação é Edward. Apesar deste possuir um carisma irresistível, não é perfeito. A trágica e súbita morte do inventor deixou-o incompleto e dotado de afiadas tesouras por mãos.

Comentário:
Tim Burton criou um intemporal conto de fadas, que apesar de volvidos tantos anos, mais de vinte anos, ainda é capaz de tocar corações.
Tudo começa com um inventor que vive no topo de uma colina, mesmo na fronteira de um típico subúrbio americano, convenientemente chamado de Suburbia, e que cria Edward, um homem com mãos de tesoura.
Um dos primeiros trabalhos de Tim Burton como Produtor,em que claramente se presencia a génese do seu visual característico, esta produção é também a primeira colaboração entre Johnny Depp e Tim Burton dando início à sua mítica relação (Alice in Wonderland, Sleepy Hollow, Corpse Bride).
Apesar de ter tido já a oportunidade de ver o filme diversas vezes, nunca deixa de me surpreender pela intemporalidade e simplicidade da história e pela forma como esta fábula retrata as relações humanas e a natural sequência dos eventos, que mesmo que estejamos a contar com o que se irá passar, estámos sempre a torcer para que as pessoas pelo menos por uma vez, sejam capazes de ser boas e altruístas.
Tudo começa como um sonho para Edward (Johnny Depp), as cores, as pessoas, a simpatia de todos e a forma calorosa como é recebido por entre os habitantes de Suburbia. Mas à medida que cada um analisa as potencialidades do recém-chegado e a forma como podem pô-las a render para seu próprio benefício, aquelas características humanas que todos tentámos manter trancadas no nosso armário, vêm rapidamente à superfície e começam a provocar estragos. A inveja, a ganância e sobretudo o egoísmo de quem rodeia Edward fazem-no  desejar o isolamento do seu castelo decrépito, no cimo da colina.

Apesar de tudo, mesmo no meio de toda a confusão que se gera em torno de Edward, o amor pela filha da mulher que o acolheu, Kim (Winona Ryder) floresce e é ela quem o ajuda a escapar e a regressar a casa. Fugindo dos humanos e regressando ao isolamento em que sempre viveu, Edward passa a observar o mundo de cima e relembrando a sua breve passagem por Suburbia.
Desde os efeitos especiais, à caracterização de Depp, à própria forma com toda a produção foi conduzida (apesar de serem abordados temas sérios, está sempre presente de forma constante o característico humor negro de Burton), são simplesmente brilhantes e estámos, sem qualqluer dúvida na presença de um mais um clássico de Burton.
Além de um sem número de nomeações ( Caracterização, Melhor Tema Musical, Melhor Actor, etc), "Eduardo Mãos de Tesoura" conseguiu arrecadar alguns prémios:

Saturn Award - Best  Fantasy Film (1992)
Hugo Award - Best Fantasy Film (1991)
Sant Jordi Award - Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Actriz Estrangeira (1991)

Classificação: 10/10

Saturday 10 December 2011

Booking Through Thursday - Mystery or Love Story?

All things being equal, which would you prefer a mystery? Or a love story?
Prefiro uma boa história de amor (basta olhar para a minha lista de leituras :P), mas se misturar mistério com romance é a perfeição!

Veja-se a minha paixão pela série "The Iron Seas" da autora Meljean Brook. *.*

Friday 9 December 2011

Before the Blog (3)


  • Porque é que escolheste este livro?
Escolhi este livro pois é certamente o responsável (li-o antes de encontrar Tolkien e o seu Senhor dos Anéis) pelo meu amor pelo género fantástico. E a seguir aos livros do Harry Potter, o culpado pela minha bibliofilia e amor pela leitura! Foi um livro que li, reli e voltei a ler durante uma grande parte da minha vida, e que como nessa altura não tinha grandes meios para adquirir muitos livros, foi durante muitos anos dos poucos livros que me podia dar ao luxo de comprar. E ainda hoje é tratado com muito carinho (ainda para mais depois de ter sido autografado pela autora).
  • Quando é que leste este livro?
Este foi dos primeiros livros que li e comprei na minha transição dos livros livros infantis para literatura mais adulta. Foi um livro que me marcou profundamente (o livro e toda a saga de Sevenwaters da escritora), e foi inclusivé o livro que escolhi para levar para a Juliet Marillier me autografar quando nos visitou no passado mês de Julho. 
  • A quem recomendarias este livro?
A todos os leitores que se desejam iniciar na literatura fantástica. Recomendo principalmente aos jovens leitores pois a Juliet é uma fantástica porta de entrada à literatura jovem-adulta, que nunca deixa de nos fascinar independentemente das releituras ou idade.
Classificação: 10/10

Tuesday 6 December 2011

Guilty Pleasure (2)

(IMDB)

Ora bem aqui estou eu em mais um post/confessionário destes meus guilty pleasures... Cada vez mais sinto que são mais pleasures que guilties porque o arrependimento anda bem longe na hora de os ler ou ver.

Porque nem só de livros vive esta blogger, desta vez trago uma trilogia de filmes (que em Janeiro de 2012 se tornará um tetralogia): Underworld.


O primeiro e o segundo filme são daqueles filmes que nunca me canso de ver, já o terceiro meh! achei que apesar de ter sido um filme interessante, toda a história pareceu apressada, dispersa e assim desperdiçaram uma boa oportunidade de fazer qualquer coisa interessante com a prequela.

Este post fez-me pensar pela primeira vez - de forma objectiva - no porquê de gostar do mundo de Underworld (aqui vai nada):

  • O Michael Sheen, bem, porque sim! Primeiro adoro o trabalho do actor (só de me lembrar dele em Tron, quase tenho uma síncope), e depois porque acho que ele capturou bem o personagem de Lucian
  • O facto de ser um filme passado numa das minhas cidades em lista de espera para visitar, Budapeste (é uma das cidades mais bonitas da Europa), e que aproveita bastante bem a arquitectura da cidade
  • Kate Beckinsale, porque apesar de tudo a Selene é uma kickass a sério (e só aqui entre nós que ninguém nos ouve, o guarda roupa é awesome) e adoro vê-la a manhandle quem se mete no caminho dela
  • A Banda Sonora (tem A Perfect Circle - entre outros - e basta! Ou é preciso dizer mais?! :P) Marco Beltrami também compôs um bom completo orquestral e foi a partir de Underworld que passei a estar mais atenta ao trabalho dele
  • Tem vampiros e lobisomens, mas daqueles a sério dos maus que andam sempre a tentar matar-se uns aos outros (e que não podem apanhar sol porque morrem mesmo!)
  • E porque adoro o visual gótico e decadente dos filmes.
  • Quase me esquecia de Bill Nighy, ele é espetacular como o ancião Viktor. Acho que ele é mesmo perfeito para o papel, consegue manter aquele ar de realeza inclusivé quando é apenas um cadáver ressequido numa cripta.
E aqui fica a minha confissão e agora um *squee* grande pois em Janeiro estreia o quarto filme e o trailer não me desiludiu... vamos lá ver no que dá (podem contar comigo numa sala de cinema a torcer pela Selene). Aqui fica o primeiro dos trailers de Underworld: The Awekening:


E já sabem, o confessionário encontra-se aberto... toca a sair do armário! ;)

Saturday 3 December 2011

In My Mailbox (5)


A Mailbox desta semana esteve recheada de coisas boas... de coisas tão boas que até parecia Natal! Aproveitei as mega promoções da Black Friday da Amazon.co.uk e consegui agarrar a trilogia da Suzanne Collins a menos de £8 (se já achava barato pagar £12 quando vi este preço aproveitei logo, mas alguém se conseguia segurar?! Vá! :P )

Finalmente vou ler o "Heartless" da Gail *squeee*, pena foi ter-me enganado na edição O.O mas pronto... na mesma caixinha da Amazon vinha o fantástico livro comemorativo dos 75 anos da publicação do "The Hobbit" de JRR Tolkien.

 
 

Em pormenor duas das ilustrações que conhecemos das edições de Tolkien que chegaram até nós. Uma do Smaug a conversar com Bilbo (escondido pelo Anel) e a morte de Smaug (ainda em fase de esboço).

Ao ver o trabalho todo de Tolkien por trás do mundo que criou durante mais de 4 décadas, penso muito na fantasia contemporânea e no conceito de que a fantasia é um irmão menor da literatura e abano a cabeça pois nada podia estar mais longe da realidade! 


E claro está, o meu Kindle chegou (mas ainda havia alguém que me conhece que ainda não sabia disso?!)...

Friday 2 December 2011

Boneshaker, o Filme



"OH MY GOD, YOU GUYS. So this is real, it’s true, and it’s happening. Because I will otherwise just babble at you incoherently, I will cut/paste the pertinent info from this article at Deadline.com.

So NOW you know what I’ve been sitting on for the last few months, DESPERATE to blog about yet being unable to do so. FINALLY IT CAN BE TOLD. And apparently it wants to be told in ALL CAPS because it just FEELS RIGHT.
BECAUSE HOLY SHIT, y’all. A HAMMER MOVIE.

And if you’ve read those, you know just about as much as I do. I know nothing about casting, about filming, about schedules, or anything like that … but you may rest assured that as I have leakable information, I will leak it LIKE A SIEVE.
But first, I think I might need to go lie down.
I’m … I’m having a moment, over here …"
 
É com muito entusiasmo que leio o anúncio de uma adaptação deste livro de Cherie Priest. A autora anunciou esta semana a adaptação da obra de steampunk que ajudou a impulsionar este género emergente para o foco do mundo editorial.

Há meses que Cherie falava em grandes notícias para os fãs mas conseguiu aguentar sem se descair, até ao anúncio oficial divulgado no passado dia 30 de Novembro.

"Brian Oliver, Presidente da Cross Creek Pictures(...) anuncia hoje que a Hammer adquiriu os direitos do livro "Boneshaker" de Cherie Priest para adaptação ao grande ecrã. O projecto será co-produzido pela Hammer e pela Cross Creek Pictures e co-financiado pela Exclusive e pela Cross Creek Pictures.

John Hilary Sheperd, o argumentista da primeira temporada de "Nurse Jackie" e nomeado para um WGA em 2010  pelo seu trabalho, será o responsável pela adaptação da obra ao cinema.

O entusiasmo a autora fez-me mesmo sentir ainda mais excitada com a notícia, espero que corra tudo bem. Irei estar atenta ao projecto! Way to go, CHERIE!

Link Página Oficial de Cherie Priest - com a notícia do anúncio

Booking Through Thursday - Mood Reading

Do you find that your mood affects the things you read? Like, if you’re in a bad mood, do you tend to indulge in reading that will support it or do you try to read things that will cheer you up? Do you pick different types of books on dreary, rainy days than you do on bright sunny ones?
For that matter, does your mood color what you’re reading, so that a funny book isn’t so funny or a serious one not so deep?

O BTT desta semana é bem tricky... ora bem acho que a resposta geral às questões levantadas é um rotundo SIM! 

Sim, a minha disposição afecta bastante o que escolho ler.
Sim, a minha disposição influencia bastante se vou ou não gostar de um determinado livro, por isso os escolho bem a minha próxima leitura tendo em conta a disposição do momento.

Por exemplo nos últimos tempos, tenho tido bastante trabalho e feito muitas horas extraordinárias, além do trabalho voluntário que faço, logo ando mais cansada. As minhas leituras têm reflectido isso, e tenho escolhido coisas mais light. Tenho optado por antologias e os meus muito amados guilty pleasures. *wink*

Diário de um Kindle (4)

A Chegada

Depois de fazer a encomenda no passado Sábado, o meu Kindle que atravessou continentes e oceanos, finalmente chegou a mim na Quarta-Feira, mesmo mesmo a tempo de um feriado de ronha agarrada à palavra escrita...

Segunda-Feira o meu kindle já havia atravessado o continente americano: partiu de Phoenix, Arizona para Louisville, Kentucky de onde levantou voo para Koeln, Alemanha, depois uma vez mais levantou voo para a cidade invicta, Porto. Chegou cá na madrugada de dia 30 de Novembro, passou umas horitas a ser mimado pelos senhores da alfândega e chegou a minha casa incólume por volta da hora do almoço (segundo os senhores da UPS às 12.03h).

Isso significou uma coisa, no lunch hour for Janita, pois quem pensa em almoço quando tem um kindle à espera de ser estreado?!

Apresento-vos o novo Kindle e o seu unwrapping, na próxima semana irei partilhar a experiência (funcionalidades, limitações, etc).


De notar: toda a embalagem é de papel, que facilita a reciclagem de todo o aparato que envolve o Kindle, a única coisa de plástico em toda a embalagem é mesmo apenas uma membrana protectora no ecrã do Kindle.

Tcharan, Le Kindle a iniciar :')

Tuesday 29 November 2011

Diário de um Kindle (3)

A Compra

Depois da escolha do modelo mais indicado para as minhas necessidades, das poupanças e assalto do mealheiro fui então comprar o meu kindle! (Atenção que nós tugas, como não temos uma loja Amazon.pt, temos mesmo que adquirir estes artigos pelo site americano. Buhhh para as taxas, impostos e portes que temos que pagar, Buhhhh)


Como escolhi o modelito mais barato sobraram-me alguns euritos e com eles decidi comprar a capa de protecção do kindle com luz. Já que ia pagar taxas, impostos e portes de envio, ao menos pagava tudo de uma vez e não arriscava estragar o meu kindle.

Depois de muitas peripécias e escolhas (qual a côr da capinha com luz, decisões, decisões):

Como tentar não custa, tentei adquirir o Kindle special offers que custava $89 em vez de $109, mas quando fui fazer checkout deu-me mensagem de erro e o próprio site da Amazon sugeriu que mudasse o item para o kindle que permite o envio internacional( o mais caro e sem special offers!)


Como a capa com luz só está disponível para entrega no final do ano, e como as expectativas são muitas, paguei mais uns euritos e vou receber o kindle já esta semana, ficando a aguardar pela altura do Natal a chegada da capa com a luz em bordeux.


Os meus gastos todos discriminados com o meu kindle, para quem pretende fazer contas à vida e desgraçar-se, economicamente falando:

Item Subtotal: $109.00
Shipping & Handling: $20.98
Total Before Tax: $129.98
Import Fees Deposit: $29.90
Shipment Total: $159.88
Paid by Mastercard: $159.88 




Monday 28 November 2011

Diário de um Kindle (2)

 O modelo

O modelo escolhido por mim foi o Kindle (o modelito low cost) que custa $109 dólares (cerca de €81,50)...

(Amazon)

E porque é que escolhi este modelito, em vez de outros mais XPTO, perguntam vocês?!
  1. O preço é sem dúvida o maior atrativo deste modelo Kindle;
  2. O Kindle Touch (que me captivou primeiro) era sem dúvida uma boa escolha (permite ouvir audiobooks, tem mais memória - cerca de 3000 livros ao invés de 1400 livros - e tem mais autonomia), mas sem saber quando estará disponível na Europa a questão que se coloca é: quanto tempo quero estar à espera de um gadget por causa de funcionalidades que irei raramente utilizar (se é que as utilizarei?!);
  3. 1400 livros num bolso chega, não?! Quanto tempo demorarei a ler quase 2Gb de livros?! Precisarei mesmo de 4Gb de informação comigo at all time?!
  4. Não tem entrada de earphones, mas para quem não ouve música enquanto lê e muito raramente ouve audiobooks, impõe-se mesmo a espera e o dinheiro extra?! Para ouvir música temos os leitores de mp3 que custam menos que a diferença entre os modelos.
  5. Um gadget de utilização diária e intensiva (como um kindle terá nas mãos de bibliófilos mais tecnológicos), sujeito a quedas e roubos, será que compensa ser um modelo muito avançado?!
  6. Nos vídeos dos utilizadores nota-se uma maior liberdade no manuseamento do Kindle vs Kindle touch (pois tem menos área para agarrar o gadget e porque é touch, logo tocar no ecrã é off limits se quisermos manter-nos na mesma página, presumo que o conforto durante a utilização seja bem menor que com outros modelos de kindles);
  7. Uma dúvida que assaltou o povo que pretende comprar um kindle nos próximos tempos: o ecrã do touch terá as mesmas propriedades?! O e-ink será tão bem conseguido como nos outros modelos?!
Depois destas dúvidas todas, depois de tanta indecisão e espera, tendo o modelo escolhido só faltava mesmo passar da teoria à prática...
No passado fim de semana, finalmente oficializei a minha compra! No próximo post irei partilhar os passos e os custos da minha aventura kindliana.

Friday 25 November 2011

Booking Through Thursday - Thankful

What book or author are you most thankful to have discovered?
Have you read everything they’ve written? Reread them?
Why do you appreciate them so much?

Vamos fazer assim... um autor que me marcou muito e um autor que descobri recentemente e que me colou às páginas do livro.
                                    (J.K.Rowling)                        (Meljean Brook)

A J.K. Rowling não é qualquer novidade (aqui a je é uma Potterhead assumidíssima), li ,reli e voltei a ler os livros todos da saga do Harry Potter. Tive a honra e o prazer de crescer com eles e com os personagens e ainda hoje me emociono quando penso em tudo o que aconteceu naqueles livros mágicos...

A Meljean Brook descobri há muito pouco tempo e honestamente, com a saga de "The Iron Sea", já há algum tempo que não me entusiasmava muito com os livros que me passavam pelas mãos. Ainda não tive a oportunidade de ler tudo o que a autora publicou mas ainda tenho tempo :)

As duas foram capazes de criar mundos complexos cheios de pormenores, personagens apaixonantes e marcantes com as quais me identifico muito. No caso da Meljean, personagens femininos que não deixam de ser quem são só porque encontram alguém com quem partilhar aventuras e desventuras!

Wednesday 23 November 2011

Diário de um Kindle


Ao fim de quase um ano de poupanças, sacrifícios e muitas contas à vida... arregacei mangas, parti o meu mealheiro de porcelana e vou finalmente comprar o meu primeiro ereader.

Entro assim em contagem decrescente para a aquisição do tão aguardado ereader!

Depois de pesquisar modelos, marcas, preços... stalkar povo que já tem kindles e outros gadgets de leitura de ebooks, decidi-me pelo modelo low cost do popular ereader da Amazon.

Como gosto de estar bem informada quanto aos gadgets que compro, após uma pesquisa exaustiva das melhores opções para mim reduzi a lista a estes três ereaders:

             -Kobo Reader-
Prós: Valor tendo em conta as funcionalidades e o facto de poder escolher a côr do gadget (rosa, branco, cinza e azul claro); Design apelativo (a parte posterior do reader tem textura para facilitar o manuseamento); Slot para cartões microSD (podemos expandir a capacidade de armazenamento do nosso gadget - não disponível nos kindles)

Contras: Não enviam para Portugal (apenas Canadá e USA) :S

 
               -Nook-


Prós: Haver disponível uma versão "nook Colour"; Slot para cartões microSD

Contras: Uma vez mais não enviam para Portugal; valor elevados comparando ereaders com funcionalidades semelhantes



 
             -Kindle-
 
Prós: Enviarem para Portugal (\o/); a facilidade de acesso aos conteúdos na Amazon (selecção de clássicos gratuitos e promoções); Preço do equipamento (cerca de $80);

Contras: Não podermos expandir a memória do gadget (não tem slots microSD).




Tendo em conta o cenário limitante dos envios internacionais (mesmo a amazon, só envia os modelos antigos e este modelo low cost para territórios fora dos USA), pesando bem a relação qualidade/preço/funcionalidades, o escolhido foi o kindle (apesar de o kobo ter sempre um lugarzinho especial no meu coração). O próximo passo foi escolher o modelo...

Desde o momento em que os novos modelos kindle foram revelados, que me virei para o novo kindle touch. Mas aqui começaram as surpresas menos simpáticas: sem qualquer explicação que se possa considerar oficial, quando tentei comprar o kindle touch esbarrei com a impossibilidade de ser enviado para fora do território americano! :O 
Desde Setembro que tenho pesquisado e tentado obter uma resposta ou explicação do porquê, a única coisa que se conseguiu até ao momento foi mesmo o silêncio... Na minha opinião (que vale precisamente por ser a minha opinião pessoal), acho que nem mesmo a Amazon contava com este entrave à distribuição mundial de 3 dos 4 novos modelos de kindle apresentados no final do mês de Setembro.

Para não tornar este post excessivamente longo, irei explorar o porquê do modelo escolhido por mim numa segunda parte a ser publicada na próxima semana...

Diário de um Kindle (2) - Escolha do Modelo 
Diário de um Kindle (3) - A Compra 
Diário de um Kindle (4) - A Chegada 
Diário de um Kindle (5) - Balanço
Diário de um kindle (6) - Três anos depois
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...